Menu

The Love of Campbell 966

baconpin03's blog

'Sou Querido Porque Não Faço Fofoca', Diz Blogueiro Hugo Gloss

Impressora Canon Maxx Tinta G3111 Chega Ao Brasil Com Garrafa De Tinta


Seguramos a divulgação desta história por longo tempo: uma chinesa que trabalha como assistente do "Die Zeit" está detida há mais de 12 semanas. Não queríamos complicar os esforços diplomáticos que estão sendo feitos para alcançar sua libertação. Contudo, como eles ainda não renderam nenhum consequência, julgamos que é preciso levar a público nesta hora o que ocorreu com nossa colega Zhang Miao.


Angela Köckritz, nossa semelhante em Pequim, não está mais pela China. Neste post, ela descreve seus contatos com autoridades chinesas. Vi minha amiga e assistente Zhang Miao pela última vez há 3 meses, no dia 1º de outubro de 2014. Eram 9h no momento em que ela bateu pela porta de meu quarto de hotel em Hong Kong. Eu ainda estava de pijama. Tínhamos estado na rodovia até tarde da noite, fazendo uma reportagem sobre o assunto os protestos do movimento Occupy Central. Miao estava voltando a Pequim, mas eu queria continuar mais em Hong Kong. O Que é Marketing De Rede social? /p>

Nos abraçamos. "Cuide-se", falei. Como Montar Sua Identidade Visual Nas Mídias sociais , Miao sumiu. Nos meus 4 anos como igual, houve diversas ocasiões em que tive que escrever sobre isto justiça e injustiça pela China. Assisti a coletivas de imprensa em que funcionários governamentais nos disseram que a China é um nação regido pelo estado de correto, ou o que é popular nos círculos especializados como um Rechtsstaat.


Conversei com agricultores cujas terras foram desapropriadas, que procuraram reparação porém não a conseguiram e, em vez disso, foram espancados e levados a um centro de detenção irregular por terem possivelmente fomentado agitação. Entrevistei ativistas dos direitos civis que, com infinita tenacidade, lutam para converter a China naquilo que ela faz de conta que é: um nação pautado no estado de direito. Visitei dissidentes que foram intimidados e desta forma, um dia, sumiram. Folheando meu caderninho de telefones, vejo os nomes de muitos que simplesmente desapareceram. Quando mencionei isso a um conhecido chinês, ele deu de ombros.


Comentou que esse tipo de coisa acontece com dissidentes, entretanto não com pessoas comuns. Mesmo dessa forma, depois de uma série de situações lamentosos, até a pessoa mais inofensivo podes ter problemas com o sistema de justiça e o aparato de segurança. É como o câncer: o mundo todo pensa que não vai ter. São a toda a hora outras pessoas que são postas pela prisão.


Dessa vez aconteceu com Miao. E, desta forma, comigo também. Eu imediatamente sabia que as leis pela China são válidas apenas quando atendem aos interesses do governo. Entretanto vivenciar isso em primeira mão é algo totalmente desigual. Miao tem 40 anos, e eu a conheço há 6 anos. Ela viveu na Alemanha por bastante tempo.



  • Fique concentrado às novidades

  • Exercitar um processo participativo de organização coletiva

  • Seja permanente

  • 2 Pessoal Não-docente



  • Tinha autorização de moradia na Alemanha. Em Hamburgo, ela foi minha professora de chinês. Viramos amigas. No momento em que ela retornou a Pequim, 2 anos atrás, começou a trabalhar pela sucursal do "Die Zeit". O retorno não foi descomplicado pra ela. Muita coisa já lhe parecia estranha, e ela tinha se distanciado de alguns de seus antigos amigos. Entretanto não demorou a fazer novas amizades na colônia de artistas de Songzhuang, onde ela mora, perto de Pequim. Miao e eu viajávamos com frequência a serviço do Famosa No Instagram Desmascara Os Próprios Artigos E Explica Farsas Em Fotos .



    Já tínhamos passado por muita coisa juntas. Nós duas e nosso fotógrafo algumas vezes dizíamos, brincando, que éramos "san jian ke" -os Três Mosqueteiros. Miao e eu voamos a Hong Kong em vinte e quatro de setembro de 2014. Tínhamos acompanhado as transformações nos protestos. No domingo, 28 de setembro, a polícia disparou gás lacrimogêneo na primeira vez.


    Conturbados com a notícia do exercício de gás lacrimogêneo pela polícia, os moradores de Hong Kong saíram às ruas. As multidões cresciam a cada minuto que passava. A avenida expressa, as ruas, as travessias de pedestres e as pontes, todas estavam lotadas de gente. 04 Blogs De Marketing Digital Que Você Nunca Tem que Deixar De Ver de perto poderia ter sonhado que haveria tantas pessoas. Naquela noite, várias pessoas -incluindo Miao-acharam que Pequim colocaria tanques nas ruas. Miao não parava de abanar a cabeça, não conseguindo acreditar. Miao era aluna da instituição primária em 1989, no momento em que estudantes fizeram manifestações na praça Tienanmen, em Pequim. Ela vivia perto da praça e com periodicidade levava água aos manifestantes.


    Pela noite de 3 de junho, no momento em que os tanques começaram a avançar, passaram ao lado do prédio dela. É possível acompanhar buracos de balas nas paredes externas do edifício até hoje. Mas naquela noite em Hong Kong os tanques não vieram. Tampouco pela noite seguinte ou pela noite depois dela.


Go Back

Comment

Blog Search

Comments

There are currently no blog comments.